sábado, 5 de setembro de 2009

Noite no pântano


Eu estava no pântano
quando parei para admirar o lago.
Vi muitos olhos submergindo.
Eles olhavam incomodados o vôo do vagalume.
Belo vagalume...
Sua luz abrilhantava o pântano sombrio.
O vôo do vagalume reluzia o coração
dos seres mais sensíveis.
O crocodilo com o seu olha de fúria,
tentava reprimir o vagalume
que não estava preocupado com toda aquela conspiração.
Nenhum outro animal pôde perceber
que o vagalume - super centrado - sabia no seu íntimo
que desagradava a alguns com a sua luz.
Agora paro e penso:
Nobre vagalume...
Sua luz dissipa a força da mais plena escuridão.



Publicado no Recanto das Letras em 29/08/2009
Código do texto: T1781182
Anderson Cavalcanti

4 comentários:

Rodrigo Selback disse...

Poxa que dom
Escrever um texto explicativo dissertativo é fácil vc pratica e vai a luta
Mas assim como vc tem q ter uma luz

HSLO disse...

Você tem uma escrita brilhante, viu Anderson.


abraços


Hugo

Van Xavier disse...

Aa vezes passamos por momentos assim onde a escuridão é tanta que uma pequena luz nos incomoda, mas às vezes essas luzes podem ser nossa salvação e se dermos uma chance a nossa alegria, belo texto Anderson , abraço!

Anônimo disse...

Amigo:
Vc se identifica como um ser humano em toda a sua plenitude.Do pouco que vi gostei imenso.Voltarei sempre.
saudaçoes amigas